Bisfosfonatos e Cirurgias Orais

Bisfosfonatos-necrose-ossea-odontologia

Bisfosfonatos e Cirurgias Orais

Os bisfosfonatos têm sido relatados como sendo um fator de risco para cirurgias orais, entre elas, as exodontias (cirurgia para remoção de dentes) e as de instalação de implante dentário.

Essa classe de medicamento é utilizada para o tratamento de patologias ósseas como metástases tumorais em tecido ósseo e osteoporose. Ela atua na redução da reabsorção óssea porque estimula osteoblastos (células que atuam na produção de osso) e causa a morte de osteoclastos (células que atuam na reabsorção óssea).

Quanto à forma de administração, elas podem ser ingeridas ou injetadas intravenosamente. Embora a literatura mostre índices menores de ocorrência de osteonecrose em pacientes que fazem uso via oral quando comparada com paciente que fazem uso via intravenosa, existem relatos de caso com necrose mesmo naquele grupo de pacientes.

Cada caso com pacientes que faz uso via oral deve ser avaliado cuidadosamente, tempo de uso, quantidade, necessidade do tratamento naquele momento, opções de tratamentos alternativos.

Pacientes que fazem uso via intravenosa devem evitar as cirurgias orais que envolvem a manipulação do tecido ósseo.

O ideal seria o paciente realizar, quando possível, as cirurgias orais que precisa antes do início do uso dos bisfosfonatos. Isso diminuiria sobremaneira os riscos.

Os tipos usados no Brasil são: ​​

– Alendronato Sódico

– Ácido Zoledrônico

– Ibandronato de Sódio

– Risedronato Sódico

 

 

Compartilhar:

Comentários no Facebook