Implantes com diâmetro reduzido

Implante de diâmetro reduzido

Implantes com diâmetro reduzido

Implantes com diâmetro reduzido

A utilização de implantes com diâmetro reduzido tem sido considerada pois na região onde ele será instalado teremos um espaço menor ocupado por titânio deixando, dessa forma, uma espessura maior de osso remanescente. Essa espessura maior de osso abrigará mais vasos sanguíneos que, por sua vez, levará nutrição e oxigênio para a região contribuindo sobremaneira para a manutenção do nível dos tecidos peri-implantares.


                                                                 

O que é considerado implante com diâmetro reduzido pela literatura?

– Mini Implantes:

1.8 a 2.7mm (Gleiznys 2012)

1.8 a 2.9 mm (Bidra 2013)

– Implante de diâmetro pequeno:

3 a 3.3 mm (Gleiznys 2012)

– Implantes de plataforma estreita:

< 3,3 mm (Ortega-Oller 2014)

< 3,75 mm (Degidi 2008)

Indicações, vantagens e desvantagens dos implantes com diâmetro

reduzido e mini-implantes

Indicações:

1- Espessura óssea insuficiente para a instalação de implantes regulares

2 -Agenesia de incisivos

3 – Espaço colapsado na região anterior

4 – Retenção de overdentures

Vantagens:

1 – Evitam técnicas avançadas de enxertos ósseos

2 – Reduzem o sangramento

3 – Desconforto pós-operatório mínimo

4 – Menor tempo de cicatrização

Desvantagens:

1- Redução do BIC

2 – Aumento do risco de fratura

3 – Aumento do rico de sobrecarga

Exemplos de implantes com diâmetro reduzido disponíveis no mercado


implantes dentarios estreitos neodent conexao nobel e straumann

implantes dentarios estreitos intralock

implante dentario estreito dentoflex

Revisão da literatura sobre implantes com diâmetro reduzido


revisão sistemática sobre mini implantes dentarios

tabela mostrando os resultados das pesquisas sobre mini implantes dentarios

Conclusão: Para o curto prazo (1 ano), o índice de sucesso de 94,7% dos mini-implantes parece encorajador, porém, a real taxa de sobrevivência de 1 ano é desconhecida, já que o acompanhamento mínimo reportado para vários implantes foi inferior a um ano.

Informações insuficientes sobre as falhas, após o primeiro ano, torna difícil desenhar uma conclusão acerca da sobrevivência de médio prazo.

Atualmente, não há evidências de longo prazo para a taxa de sobrevivência dos mini-implantes


trabalho cientifico sobre a infruencia do diametro do implante dentario na sua sobrevivencia

tabela dos resultados da pesquisa sobre a influencia do diametro na sobrevivencia do implante dentario

Discussão: Apesar das limitações, os implantes de diâmetro estreito apresentaram uma alta taxa de sobrevivência, por exemplo, 96,4% para 1,8 mm, 95,5% para 2,5 mm e 100% para 3,25 mm.

Conclusão: De acordo com essa meta-análise, a taxa de sobrevivência dos implantes foi calculada em 75% para diâmetros <3mm e 87% para implantes com diâmetro ≥ 3mm.

Portanto, somente implantes com diâmetro ≥ 3mm  são adequados para reabilitar espaços edêntulos estreitos.

Também é importante ter em mente que, para implantes com diâmetro menor do que 3mm, colocar carga 3 meses após a istalação é crucial para se obter uma alta taxa de sobrevivência.


trabalho cientifico sobre novas abordagens acerca de mini implantes dentais

Método: Foi conduzida uma busca computadorizada de estudos clínicos entre os anos 2000 e 2011 que envolvesse implantes com diâmetro de 3,3 ou menos.

Resultado: 42 estudos que se encaixaram nos critérios foram selecionados. O tempo de acompanhamento durou de 4 meses a 8 anos com uma taxa de sucesso entre 91,7 e 100%.

Conclusões:  Implantes com diâmetro pequeno podem ser usados com sucesso em uma variedade de situações clínicas.

Menor tempo cirúrgico, menor dor pós-operatória, possibilidade para submetê-los à carga imediata sem prejuízo para o osso e o fator custo são as vantagens.

A superfície reduzida dos implantes requer um plano de tratamento correto para que a carga não cause perda óssea ou sua falha.

Mini-implantes e implantes de diâmetro pequeno mostram alta taxa de sobrevivência porém, procauções especiais com a qualidade do osso e a higiene oral devem ser mantidas.


influencia do diametro e comprimento na falha dos implantes dentais

Neste estudo retrospectivo, foram avaliadas as relações entre diâmetro, comprimento e perda precoce de 1649 implantes instalados em 650 pacientes.

Resultados: A taxa de sucesso precoce foi de 96,2%. Com relação ao diâmetro, a maior perda foi observada nos implantes de diâmetro estreito (5,1%) seguida dos implantes regulares (3,8%)  e por último dos implantes largos (2,7%).

Conclusão: Nenhuma relação entre diâmetro do implante e perda precoce foi observada


avaliacao clinic e radiografica de implantes dentarios de diametro estreito

Neste estudo, 122 implantes Straumann de diâmetro 3,3 mm foram instalados em 68 pacientes (grupo teste) e 120 pacientes receberam 208 implantes Straumann de diâmetro 4,1 mm (grupo controle). Foram confeccionadas próteses parciais e unitárias.

Resultado: A taxa de sucesso foi de 97,5% para o grupo teste e 98,5% para o grupo controle. O índice de perda de implantes foi de 7,8% para osso tipo IV, 0,9% para osso tipo III e 0,8% para osso tipo II.

Conclusão: A taxa de sucesso entre os dois grupos não foi estatisticamente diferente. Osso tipo 4 pode ser um fator que contribui para o aumento da perda dos implantes.  Implantes de diâmetro pequeno podem ser usados com sucesso no tratamento de pacientes edêntulos parciais.


Nova abordagem acerca do uso de implantes dentários de plataforma estreita

Neste estudo foram avaliados, após um período de 1 a 3 anos, 227 implantes (211 de 3,5 mm, 13 de 4.3 mm e 3 de 5 mm) instalados em 53 pacientes utilizando o conceito All-on-Four.

Resultados: A taxa de sobrevivência cumulativa dos implantes foi de 98,7% ao fim de 3 anos e a taxa de sobrevivência das próteses foi de 100% .

Conclusão: A Combinação de Implantes NobelActive de 3.5 mm de diâmetro com o conceito All-on-Four promete tornar-se um novo padrão de tratamentos para pacientes severamente comprometidos.

 


Estudo retrospectivo sobre implantes dentários de diâmetro estreito

Resultados: A taxa de sucesso foi de 99,4%. Nenhum implante fraturou. Com relação à perda óssea marginal: Tipo (Ankylos: -0.45 mm; Brånemark: -1.20 mm; Frialit: -1.20 mm; IMZ: -1.40 mm; Maestro: -1.30 mm; Maximus: -1.15 mm; Restore: -1.20 mm; XiVE: -0.90 mm; and XiVE TG:-0.45mm) ,  diâmetro (≤ 3,3 = 0,97 mm e > 3,3 mm = 0,81 mm) , comprimento (≤ 13 mm: -1.00mm e >13 mm: -0.90 mm), carga (tardia: – 0.90 mm e imediata: -1.00 mm))

Conclusão: Implantes de diâmetro estreito são confiáveis e apresentam uma alta taxa de sucesso. Nenhuma diferença foi encontrada entre os vários tipos de implantes usados. Comprimento e largura parecem influenciar a perda óssea marginal, com melhores resultados para implantes situados entre 3,4 e 3,75 mm e maiores que 13 mm. A técnica de restaurações imediatas sobre implantes com diâmetro estreito parece ser um procedimento seguro embora tenha tido maior reabsorção óssea, neste estudo, quando comparado com a carga tardia.


Implante imediato versus restaurações de um estágio sobre implantes de diâmetro reduzido

Neste estudo, 60 implantes de 3,0 mm x 13 mm ou 15 mm foram instalados em rebordos cicatrizados na região de laterais superiores. 30 pacientes receberam provisórios imediatos (grupo teste) e 30 ficaram com cicatrizadores expostos (um estágio cirúrgico).

Grupo teste                                                                                                Grupo controle

Após 5 meses, os pacientes dos dois grupos foram chamados e as coroas definitivas foram confeccionadas e instaladas.

Resultados: 100% de sucesso para os dois grupos. Não houve diferença significativa entre os dois grupos no quesito perda óssea marginal (0,85 mm e 0,75 mm) e profundidade de sondagem (1,91 mm e 2,27 mm).

Conclusão: Não houve diferença estatística significante entre os dois grupos.

Implantes de 3,0 mm provaram ser uma opção previsível para tratamento de pacientes com ausência dos laterais superiores quando um protocolo clínico rigoroso é seguido.


Mini implantes dentários: Um adjunto para retenção, estabilidade e conforto para o paciente

Neste estudo, 30 pacientes receberam 4 mini implantes (IMTEC 1.8 x 10 a 18 mm) entre forames mentuais para suportar uma overdenture. Um questionário foi enviado para cada um deles após 5 meses, em média, solicitando um ranqueamento de 1 a 10 (1 = pobre e 10 = excelente) sobre o conforto, retenção, mastigação e fonética.


                                                                 

Resultados

​Conclusão: Mini-implantes eram considerados implantes de transição, porém, com uma taxa de sucesso de 97,4 %, eles provaram certamente ser  mais do que implantes temporários. As limitações deste estudo incluem o curto acompanhamento, a falta de um grupo controle (por exemplo comparando 4 mini-implantes com 2 implantes convencionais  para suportar uma overdenture). Mini-implantes são uma opção com alta taxa de sucesso para pacientes com baixa tolerância  a próteses maxilares e mandibulares. Esses implantes são relativamente acessíveis  e para a maioria dos pacientes são excelentes.


Carga imediata em mini implantes dentais

Neste estudo, 30 paciente receberam 4 mini-implantes cada (1,8 mm x 13 mm – MDI 3M Espe) com a finalidade de suportar imediatamente uma overdenture. Foram realizados testes para verificar a estabilidade, através do Periotest Classic, no momento da instalação, 3ᵃ e 6ᵃ semana, 4ᵒ, 6ᵒ e 12ᵒ mês. Foi avaliado também o nível ósseo ao redor dos implantes, através de rx, no dia da cirurgia, na 6ᵃ semana, no 6ᵒ e 12ᵒ mês.

PT < 0 (valores negativos são geralmente bons)

PT 0 a 9 (Uma avaliação clínica é recomendável)

PT ≥ 10 (O implante não apresenta boa estabilidade )

Exames radiográficos (Imediato, 6ᵃ semana, 6ᵒ e 12ᵒ mês)

Resultados

implantes com diâmetro reduzido

Conclusão: Os resultados deste estudo sugerem que mini-implantes instalados na região interforaminal podem atingir estabilidade primária  favorável para carga imediata. Os valores do Periotest se tornaram relativamente mais altos após a carga imediata, porém, seguiu a dinâmica da remodelação óssea. No entanto, os mini-implantes permaneceram clinicamente estáveis após um ano de função.

A reabsorção óssea ao redor dos implantes, após um ano, foi considerado clinicamente aceitável e semelhante aos implantes dentários convencionais.

 

Perguntas feitas na internet sobre implantes com diâmetro reduzido

Prezado Dr. Josué. Li seu artigo “Implantes com diâmetro reduzido” e me interessei pelo assunto. Meu filho nasceu sem um incisivo lateral superior e fez tratamento ortodôntico, ficando com todos os dentes alinhados. Neste processo, foi deixado espaço de 5mm entre o incisivo central e o canino para a realização do implante. Porém, ao se fazer uma tomografia, encontramos que a distância entre as raízes é de 3mm a 3,5mm, o que, por ora, inviabilizaria o implante. Gostaria de saber quanto de espaço entre as raízes precisaríamos ter para um implante de diâmetro 2mm (Intra-Lock) ou, até mesmo, de 1,8mm, caso exista no mercado brasileiro. Gostaria também de saber se você executa os implantes com estes diâmetros e se é possível considerá-los definitivos. Obrigado.

Re: Esses implantes são indicados para incisivos inferiores. Para incisivos laterais superiores, recomendo aumentar mais o espaço para um mínimo de 6 mm para colocar um implante dentário de no mínimo 3mm de diâmetro.

 


Compartilhar:

Comentários no Facebook