Periodontia

Ter a gengiva saudável é o ponto de partida para alcançar um sorriso bonito. A periodontia é a especialidade da odontologia que estuda e trata as doenças como a periodontite, a gengivite e a peri-implantite que são patologias que acometem a gengiva, cemento (estrutura que envolve a raiz e onde os ligamentos periodontais se ligam), ligamentos periodontais (filamentos que se unem ao cemento e ao osso e que servem para reter o dente e amortecer as forças mastigatórias)  e osso.

 

Nova Classificação Periodontal

 

-Saúde periodontal:

  • Periodonto íntegro: Nunca teve a doença periodontal. Paciente não apresenta perda de inserção, bolsa ou perda óssea;
  • Periodonto reduzido: Já teve a doença, porém está tratada. Paciente tem bolsa, perda óssea e perda de inserção.

 

Gengivite: É uma doença que acomete apenas gengiva, não tem bolsa periodontal, não tem perda de inserção, mas há inflamação na gengiva, porém é uma doença reversível. Quando está associada ao biofilme, pode ter o periodonto íntegro ou reduzido, ter relação com fatores de risco sistêmicos ou locais ou estar associada a medicamentos. Quando ela não se associa ao biofilme pode ser por genética do paciente, alguns tipos de infecções, doenças imunes ou endócrinas.

 

Periodontite: É uma doença que acomete a inserção do dente, podendo levar até a sua perda quando não tratada. Ela pode ser multifatorial de progressão rápida ou de progressão  lenta e pode estar associada ao biofilme. Clinicamente ela se caracteriza se por:

 

  • Perda de inserção em faces livres maiores que 3mm;
  • Perda de inserção em um ou mais sítios interproximais.

 

 

Extensão:Localizada: até 30%;

Generalizada: mais que 30%.

Severidade:Estágio I: Leve;

Estágio II: Moderado;

Estágio III: Severa;

Estágio IV: Dentes condenados/ Mobilidade.

Progressão: Grau A: Lenta;

Grau B: Moderada;

Grau C: Rápida.

A Periodontite é classificada de acordo com seu ESTÁGIO e GRAU:

 

  • Estágio: A classificação de estágio está relacionada com a severidade da doença, ela deve ser primeiramente definida pela perda de inserção, na sua ausência deve ser avaliada radiograficamente a perda óssea. Caso haja fatores de complexidade (Lesões de furca ou mobilidade dental), o estágio é maior. Em pacientes tratados, o estágio não deve diminuir. Para todos os estágios, deve ser classificar também a  extensão, se é localizada, generalizada ou padrão molar/ incisivo.
    • Estágio I: Característica determinante: 1-2 mm de perda de inserção interproximal no pior sítio ou perda radiográfica no terço coronal;

Característica secundária:  Profundidade de sondagem de até 4mm, sem perda dental devido a periodontite e padrão de perda óssea horizontal.

  • Estágio II: Característica determinante: 3-4mm de perda de inserção interproximal no pior sítio ou perda radiográfica no terço coronal;

Fatores que modificam o estágio: Profundidade de sondagem de até 5mm, sem perda dental devido a periodontite e padrão da perda óssea horizontal.

  • Estágio III: Característica determinante: 5mm ou mais de perda de inserção interproximal no pior sítio ou perda ossea radiografia se estendendo a metade ou ao terço apical da raiz;

Fatores que modificam: Profundidade de sondagem maior que 6mm, com perda dental devido a periodontite em até 4 dentes. Pode ter perda óssea vertical de até 3mm, lesão de furca grau II ou III e defeito de rebordo moderado.

  • Estágio IV: Característica determinante: 5mm ou mais de perda de inserção interproximal no pior sítio ou perda ossea radiografia se estendendo a metade ou ao terço apical da raiz;

Fatores que modificam: Profundidade de sondagem maior que 6mm, perda dental de 5 ou mais dentes devido a periodontite, lesão de furca, pode ocorrer disfunção mastigatória, trauma oclusal secundária, defeito de rebordo grave e problemas mastigatórios.

 

  • Grau: Reflete evidências ou risco da progressão da doença e seus efeitos na saúde sistêmica. O grau pode ser modificado pela presença de fatores de risco como tabagismo ou diabetes mellitus.
    • Grau A: Progressão lenta:

Característica determinante:Evidência direta: Não haver perda de inserção por  anos. Evidência indireta: Perda óssea/ano de até 0,25 mm;

Característica Secundária: Paciente com grande acúmulo de biofilme, mas com pouca destruição periodontal;

Não há fatores de risco que modificam.

  • Grau B: Progressão moderada:

Característica determinante: Evidência direta: progressão inferior a 2mm em 5 anos. Evidência indireta: perda óssea/ ano de 0,25 mm -1mm;

Característica secundária: Destruição compatível com depósito de biofilme;

Fatores de risco que podem modificar a graduação, como fumantes ou pacientes que apresentam diabetes mellitus.

  • Grau C: Progressão rápida:

Características determinantes: Evidência direta: progressão igual ou superior a 2mm em 5 anos. Evidência indireta: perda óssea/ ano superior a 1mm;

Características secundárias: Há muita destruição para a quantidade de biofilme apresentada. Tem rápida progressão da doença e ausência de resposta esperada do controle do biofilme.

Fatores de risco que podem modificar o percurso da doença é o tabagismo ou pacientes com diabetes mellitus.

 

Dúvidas? Nos envie uma mensagem via WhatsApp

 

Comentários no Facebook