Repercussões sistêmicas de infecções bucais

Bactéria da boca que pode cair na corrente sanguínea

Repercussões sistêmicas de infecções bucais

Na boca, existem milhões de bactérias de milhares de espécies diferentes. Estas são encontradas tanto em pacientes saudáveis como em pacientes com algum tipo de doença ou infecção.

Como a boca está ligada diretamente com o organismo, as patologias que acometem a cavidade oral podem repercutir sistemicamente. Se bactérias da boca caírem na corrente sanguínea (bacteremia), elas podem se alojar no coração, pulmões, cérebro, articulações ou podem induzir partos prematuros.

Há muitos anos acredita-se que as doenças bucais podem influenciar doenças sistêmicas. A doença periodontal junto com as infecções endodônticas, são as infecções que estão mais associadas a patologias sistêmicas como diabetes, doenças cardiovasculares, infecções respiratórias, cerebrais, artrites reumatoides e partos prematuros.

Apesar da escassez de estudos que comprovem a relação entre as complicações bucais às sistêmicas, houve um aumento de 25% de chances de doenças arteriais coronárias em pacientes com periodontite.

A passagem de microorganismos patogênicos para o organismo não ocorre apenas durante tratamentos odontológicos. Ocorre também durante atividades diárias como a escovação e ao passar fio dental. Em indivíduos saudáveis, esta passagem, é na maioria das vezes, assintomática, devido a presença de anticorpos. Porém, em pacientes que possuem baixa imunidade, estes organismos, além das complicações orais, podem causar complicações em outros locais do corpo.

Por isso, uma boa higiene oral, visitas regulares ao dentista associados com boa saúde são fatores importantes que reduzem a probabilidade de possíveis bacteremias.

Se ocorrer bacteremias, os pacientes com maior riscos são: cardiopatas, portadores de prótese valvar, pacientes com endocardite infecciosa prévia e portadores de doenças imunossupressoras.

Os procedimentos odontológicos hoje são a principal causa de bacteremias, portanto, em pacientes com valvopatias e com histórico de endocardite, devem receber terapia profilática antes de qualquer procedimento que possa causar sangramento,

Endocardite é uma doença infecciosa na qual os microorganismos se multiplicam no endocárdio e causam danos às válvulas cardíacas. Qualquer procedimento odontológico que cause lesão tecidual pode causar a bacteremia transitória para o endocárdio. Seus sintomas mais comuns são febre, calafrios, sopro no coração, dores musculares e nas articulações, palidez, fadiga, entre outros. É rara, porém quando não tratada é fatal.

O simples fato da gengiva estar inflamada, já é um fator de risco, visto que a inflamação provoca o aumento da permeabilidade dos tecidos fazendo com que aumente a probabilidade de bactérias caírem na corrente sanguínea.

A artrite Reumatoide é uma doença autoimune que pode ter como fator modificador a periodontite. Ela atinge vários órgãos e sistemas do corpo, destruindo tecido conjuntivo de articulações e ossos. Os principais sintomas são rigidez matinal nas mãos, cansaço, fadiga, mal estar, uveite, pneumonite, neuropatias e problemas nas glândulas salivares e lacrimais.

As doenças periodontais têm sido associadas em estudos a caso de acidentes vasculares cerebrais. Mostrando que pacientes que possuem periodontite, possuem maior risco de ter um AVC. Analisando a presença de bactérias no cérebro, foram encontradas bactérias bucais.

Cabe ao Cirurgião-Dentista se atentar aos procedimentos realizados em consultório, sempre seguindo normas de biossegurança. Além de alertar os pacientes sobre a importância da saúde bucal e as consequências de infecções orais, além de orientar as formas de cuidados com a higiene bucal, mantendo o bem-estar e saúde geral.

Compartilhar:

Comentários no Facebook