Tabagismo e tratamentos odontológicos

Tabagismo e problemas bucais

O uso do tabaco é muito prejudicial  a saúde, é comprovado que reduz o tempo de vida, causa grandes riscos de câncer, doenças cardíacas, pulmonares, derrame e infarto. Em torno de 90% dos canceres de pulmão são causados por cigarro e possuem baixa taxa de sobrevivência de quem o possui.

Além dos danos a saúde geral, o tabagismo também afeta a saúde bucal. Está associado a diversas patologias orais como leucoplasias, gengivite ulcerativa necrosante, doença periodontal, candidíase oral, falha em implantes e enxertos e câncer bucal (sendo 80% causada por tabagismo).

Interfere também no tratamento das doenças periodontais e cirurgias, causa vasoconstrição periférica o que prejudica a cicatrização dos tecidos. Foi observado que existe maior quantidade de placa bacteriana em fumantes, possivelmente devido a alteração que o tabaco causa ao pH salivar diminuindo sua capacidade tampão e aumentando a incidência de cáries.

Outras consequências do tabagismo são as manchas causadas nos dentes e restaurações, diminuição dos sentidos do olfato e paladar e, em muitos casos, halitose.

Algumas pessoas possuem o hábito de mascar tabaco, o que causa enrugamento da mucosa bucal e retração gengival.

Devido a esses fatores prejudiciais, tanto a saúde geral quanto a oral, os Cirurgiões-Dentistas possuem a obrigação de orientar os riscos e estimular seus pacientes a pararem de fumar.

O câncer bucal se desenvolve a partir das células sadias da boca. Um estudo demonstrou que 8 a cada 10 pessoas com câncer bucal são fumantes. Ao fumar, as substancias químicas associadas ao tabaco passam pela boca, garganta e posteriormente pelos pulmões. Com este hábito, ao passar do tempo, podem aparecer sérias alterações nessas células levando-as a uma multiplicação descontrolada. Quando esse aumento tecidual é inibido pelo contato com tecidos vizinhos, temos uma neoplasia benigna, quando ele invade tecidos vizinhos causando danos estruturais e funcionais e ou quando células se desprendem desse tecido e começam a se multiplicar e causar danos em outros órgãos, temos uma neoplasia maligna.

A doença periodontal é uma infecção causada pelo acúmulo de bactérias que afeta as estruturas de proteção e sustentação dos dentes (gengiva, osso, cemento e ligamento periodontal) podendo levar a perda dos dentes. O tabagismo é um grande agravante na doença periodontal, pois o fumante tem duas vezes mais chances de possuir a doença. Além de interferir no sistema imunológico fazendo com que seja mais difícil este combater as bactérias.

A halitose é provocada em tabagistas devido a um de seus efeitos colaterais, a xerostomia (diminuição na produção de saliva). Essa diminuição facilita o acúmulo de bactérias.

Diminuir a quantidade de cigarros fumados não altera os resultados negativos no curto prazo se, eventualmente, alguma patologia ou alteração já estão instaladas, devido ao efeito residual das substâncias químicas que possuem alta toxicidade. Porém, é altamente recomendável que o paciente deixe de fumar por conta dos benefícios à longo prazo.

Ao verificar os sinais clínicos, o dentista deve questionar o paciente se ele é tabagista, se deseja ou não parar de fumar e oferecer saídas para que pare e obtenha sucesso. O paciente pode utilizar produtos que auxiliem-no a deixar o hábito, como adesivos de nicotina, gomas de mascar com nicotina, inaladores de nicotina e, quando receitado por um médico, o hidrocloreto de bupropiona (medicamento antidepressivo).

Compartilhar:

Comentários no Facebook

Siga-nos no Instagram

Open chat